PSICOGERONTOLOGIA

Falar sobre envelhecimento suscita DEFESAS em nós, seres humanos.

Defesa contra o sentimento de finitude, de vulnerabilidade, dependência… Defesas estas, que nos impedem até de aproximarmo-nos do tema, estudar, ler… Defesas que, por vezes, se “infiltram” em nosso modo de atender no consultório, na instituição, no hospital, enfim. Uma das formas mais conhecidas de defesa – a negação – é “infantilizar” o idoso.

Nós, profissionais da saúde, temos o dever de construir um olhar específico à demanda desta população, que vem crescendo a cada dia, bem como, nos auto-avaliar e nos preparar para lidar com esta demanda contemporânea do envelhecimento do MUNDO!